<=Voltar para o site
Acesso a Área Restrita
Para vizulizar os cadidatos e necessário estar logado no site
Conta:
E-mail:
Senha:
Código de Segurança:
Click on me to change image

<=Voltar para o site
Para recuperar sua senha é preciso que você informe o E-mail que foi informado no ato do seu cadastro.
E-mail:
   
Comércio do PA perde mais de 11 mil postos de trabalho em dois anos - Hora de Decidir - Por um Brasil mais justo e melhor!
Comércio do PA perde mais de 11 mil postos de trabalho em dois anos
Pesquisa mostra que comércio varejista sente mais efeitos da crise. Estados do norte do Brasil tem mais demitidos do que contratados.
  Matéria publicada em 01 de Março de 2017 as 10:03:23
   Reprodução
Reprodução
Um levantamento do Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese) constatou os efeitos da crise sobre o comércio no estado do Pará: de acordo com o estudo, 11.266 mil vagas de emprego formal deixaram de existir no setor nos últimos dois anos.
Entre os meses de janeiro e dezembro de 2016 foram feitas 74.133 contratações no comércio do estado do Pará, mas 82.552 pessoas foram demitidas. A quantidade de desligamentos gera um saldo negativo de 8.419 vagas apenas no ano passado. No mesmo período de 2015, foram 92.307 contratações contra 95.154 demissões, o que diminuiu a oferta de vagas do comério em 2.847.
Segundo o Dieese, entre janeiro e dezembro de 2015 a queda de postos de trabalho, considerando o comparativo contratados e demitidos, foi de 2%. No ano seguinte o saldo foi ainda pior, resultando em queda de aproximadamente 4%.
 
Comércio varejista sente mais efeitos da crise
A maior parte das demissões ocorreu no comércio varejista, que em 2016 contratou 60.806 trabalhadores de carteira assinada, mas demitiu 68.807. No segmento atacadista foram feitas no mesmo período, 13.327 admissões contra 13.745 desligamentos gerando um saldo negativo de 418 postos de trabalhos.
A má notícia para o trabalhador é que os efeitos da crise ainda devem ser sentidos no estado ao longo do ano. "A tendência para este primeiro trimestre de 2017 ainda é de mais desemprego no setor em todo estado", avalia o economista Roberto Sena.
 
Estados do norte do Brasil tem mais demitidos do que contratados
A análise feita pelos economistas do Dieese constata que todos os estados da região norte apresentaram saldo negativo na geração de empregos, mas o Pará lidera a lista com mais que o dobro das demissões do segundo colocado, o estado do Amazonas: foram 82 mil demitidos no estado, contra 40 mil do estado vizinho.
Segundo o ranking elaborado com dados do Caged, o Pará teve a perda de 8.419 postos de trabalhos, seguido do Estado do Amazonas com a perda de 3.516 postos de trabalho; Rondônia com a perda de 2.707 postos de trabalhos; Tocantins com a perda de 1.391 postos de trabalhos; Acre com a perda de 1.219 postos de trabalhos; Amapá com a perda de 1.141 postos de trabalhos e Roraima com a perda de 430 postos de trabalho.
 
Fonte: Informações G1 PA
           
Enviar Comentários.
Veja também!
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
FACEBOOK
PUBLICIDADE
Temos 44 usuarios on-line.
© Todos os direitos reservados a VIA CONECTE
Desenvolvimento PROMIX WEB
"Os justos brilharão como a luz do sol no Reino de Deus" (Mateus 13:43)