<=Voltar para o site
Acesso a Área Restrita
Para vizulizar os cadidatos e necessário estar logado no site
Conta:
E-mail:
Senha:
Código de Segurança:
Click on me to change image

<=Voltar para o site
Para recuperar sua senha é preciso que você informe o E-mail que foi informado no ato do seu cadastro.
E-mail:
   
Acusados de participação em duplo homicídio em Redenção são mantidos presos - Hora de Decidir - Por um Brasil mais justo e melhor!
Acusados de participação em duplo homicídio em Redenção são mantidos presos
Juiz decidiu, em Audiência de Custódia, pelas prisões preventivas dos cinco acusados pelas mortes de duas mulheres
  Matéria publicada em 14 de Dezembro de 2017 as 03:12:47
   Ricardo assassino confesso e Jean genro de uma das vítimas (imagem: reprodução)
Ricardo assassino confesso e Jean genro de uma das vítimas (imagem: reprodução)
O juiz César Leandro Pinto Machado, da Vara Criminal da Comarca de Redenção, sul do Pará, decidiu manter presos os cinco suspeitos de participação nas mortes de Maria Francisca de Souza Vaz e Joanice Oliveira de Jesus. São eles: Aline Lázara Gomes de Souza Vaz, filha de Francisca; Jean Altemir Rodrigues da Silva, marido de Aline; Wesley Costa da Silva; e Euzirene Alves de Almeida; além do assassino confesso Ricardo Pereira da Silva, o Missionário Ricardo.
Durante a audiência de custódia, hoje (13) no fim da manhã, no Fórum de Redenção, Ricardo Pereira mudou o teor do depoimento que havia dado à polícia. No depoimento desta quarta-feira, ele inocentou os outros quatro suspeitos, mas não convenceu o magistrado.
Os primeiros a depor foram o genro de Francisca Souza, Jean Silva, e o Missionário Ricardo. Depois de ouvir os dois, o juiz César Machado determinou que fossem levados de volta ao Centro de Recuperação Regional de Redenção (CCR).
 
Juiz mantém prisão preventiva dos cinco acusados pelo crime macabro que abalou Redenção
 
Em seguida, o magistrado tomou o depoimento de Aline Vaz, mulher de Jean Silva e filha da cabeleireira morta, Francisca Souza. A defesa de Aline peticionou pela prisão domiciliar da acusada, que tem uma filha de seis meses e estaria amamentando. Mas o juiz negou a pretensão dos advogados, determinando que ela também voltasse ao presídio, conforme pedido da polícia.
César Leandro Pinto Machado tomou a mesma decisão em relação aos dois últimos acusados pelo crime. Wesley Costa e Euzirene Alves também foram mandados de volta ao CCR, onde ficarão até o término das investigações.
 
Juiz dá voz de prisão a manifestante
 
Um princípio de tumulto durante a audiência terminou com a prisão de uma pessoa, que se manifestou indevidamente no recinto. Foi quando Ricardo Pereira inocentou os outros acusados e disse ao juiz que havia matado sozinho as duas mulheres.
No depoimento à polícia, ele não somente denunciou a participação dos quatro, como apontou o que cada um fez nas mortes violentas das duas mulheres. Na manhã de ontem, surgiu a informação de que Ricardo Pereira já havia tentado mudar a versão dos fatos. Mais tarde, nova reviravolta: ele teria dito que inocentara os demais por causa de uma ameaça de Jean Silva. A ameaça teria sido não somente contra a pessoa dele, Ricardo, mas também contra seus familiares.
Na noite de segunda-feira (11), a polícia chegou a anunciar que fecharia o inquérito ainda ontem, mas mudou de ideia. Agora mais cautelosos, os delegados decidiram usar o prazo de 10 dias que eles têm para terminar as investigações.
 
 
Fonte: Blog do João Carlos
           
Enviar Comentários.
Veja também!
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
FACEBOOK
PUBLICIDADE
Temos 111 usuarios on-line.
© Todos os direitos reservados a VIA CONECTE
Desenvolvimento PROMIX WEB
"Os justos brilharão como a luz do sol no Reino de Deus" (Mateus 13:43)